Rooibos (arbusto vermelho)

Exitem muitos usos medicinais tradicionais do rooibos na África do Sul.

  • Rooibos (arbusto vermelho)

Na África do Sul é mais comum beber-se o chá de rooibos com açúcar ou mel e uma rodela de limão, mas em outros lugares a bebida é geralmente degustada sem esses complementos. O sabor do chá de rooibos é com frequência descrito como doce (sem adição de açúcar) e com indícios de amêndoas no palato. O rooibos pode ser preparado da mesma forma que o chá preto, que é o método mais comum. Diferentemente do chá preto, entretanto, o chá de rooibos não se torna amargo quando deixado em infusão por longo tempo; às vezes esse chá é deixado em infusão por vários dias. O chá de rooibos possui coloração marrom-avermelhada, daí o epíteto ocasional de "chá vermelho".
 
Várias cafeterias na África do Sul passaram a vender red espresso, espresso vermelho, que é o rooibos concentrado servido e apresentado no estilo do espresso comum (que normalmente é à base de café). Isso deu origem a variações de café baseadas em rooibos tais como os lattes vermelhos e os cappuccinos vermelhos. O chá gelado feito de rooibos também foi recentemente introduzido na África do Sul e na Austrália como o "Red Tea, Rooibos & Guarana" da Lipton.
 
Benefícios nutricionais e para a saúde
 
O rooibos tem-se tornado popular nos países do hemisfério ocidental particularmente entre os consumidores preocupados com a saúde, devido ao alto nível de antioxidantes como aspalatina e notofagina, por não conter cafeína, e por seus baixos níveis de tanino, comparados com aqueles do chá preto tostado ou do chá verde.
 
O rooibos é considerado como coadjuvante em casos de tensão nervosa, alergias e problemas digestivos.
 
Os usos medicinais tradicionais do rooibos na África do Sul incluem-no como remédio para cólicas infantis, alergias e problemas dermatológicos e de asma.
 
O rooibos "verde" tem maior valência como antioxidante do que o rooibos tostado (oxidado).
 
Classificação
 
As classificações de Rooibos são altamente relacionadas à percentagem de "galho" ou folha que compõem o conteúdo na mistura. Um teor com mais folhas vai resultar em um licor mais escuro, sabor mais rico e menos "empoeirado" ao paladar. Os rooibos de mais qualidade são exportados e não alcançam mercados locais, com consumidores majoritários sendo a Europa, particularmente a Alemanha, onde é usado na criação de misturas de sabor para mercados de folhas de chá avulsas. Existem, contudo, um pequeno número de companhias especializadas em chá na África do Sul que agora estão produzindo misturas similares.

Comentários