SUS disponibiliza comprimido para prevenção do HIV

Segundo dados do Ministério da Saúde, entre 2007 e 2017, quase 195 mil pessoas (194.217 para ser mais exata) foram infectadas pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), que ainda não tem cura. Só em 2016 foram quase 38 mil.

  • SUS disponibiliza comprimido para prevenção do HIV

Todo mundo sabe que é importante usar camisinha durante as relações sexuais para evitar doenças sexualmente transmissíveis, certo? Mas, segundo dados do Ministério da Saúde, entre 2007 e 2017, quase 195 mil pessoas (194.217 para ser mais exata) foram infectadas pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), que ainda não tem cura. Só em 2016 foram quase 38 mil.
 
Existem diversas ações como a realização de exames periódicos e o acompanhamento de gestantes com o vírus que fazem parte da “Prevenção Combinada”, iniciativa que tenta reduzir a contaminação entre as pessoas. Uma dessas ações é a PEP, Profilaxia Pós-Exposição, que consiste no uso de medicamentos após o contato de risco com alguém que possui HIV.
 
Pois desde o final de 2017, o Sistema Único de Saúde (SUS), disponibiliza gratuitamente a PrEP: Profilaxia Pré-Exposição, ou seja, o uso de um remédio que reduz em até 92% a chance de contaminação pelo vírus, diminuindo assim a possibilidade da epidemia aumentar no Brasil.
 
O Dr. Robinson Fernandes de Camargo, médico e consultor técnico do Programa Municipal de DST/Aids de São Paulo, explica quem pode tomar o medicamento*: “A prioridade para a PrEP são as pessoas que vivem em situação de maior vulnerabilidade ao vírus e têm mantido relações sexuais sem o uso do preservativo, como as profissionais do sexo, homens e mulheres trans, casais sorodiferentes (quando um tem HIV e o outro não), gays e outros homens que fazem sexo com homens (HSH). “
 
Se você faz parte de alguns desses grupos, o médico explica como proceder: “a pessoa interessada em fazer uso da PrEP deve procurar um dos serviços públicos de saúde em que esta estratégia de prevenção esteja sendo ofertada (confira a lista clicando aqui). No local, a pessoa fará testes rápidos e passará pela avaliação de uma equipe multiprofissional que avaliará, junto com o candidato, se a PrEP é a melhor forma de prevenção ao HIV”.
 
O assistente administrativo Diogo Henrique Lins, de 28 anos, toma a medicação há 6 meses e explica porque decidiu aderir ao tratamento: “A motivação para dar início a PrEP veio a partir do momento que eu analisei a fundo minha vida sexual e percebi que eu não conseguia me proteger em 100% das minhas relações, então ela veio para tapar as brechas nos momentos que o preservativo não entrava em jogo”.
 
Não é apenas o estado de SP (nas cidades de São Paulo, Campinas, Piracicaba, Ribeirão Preto, Santos, São Bernardo do Campo e São José do Rio Preto) que possui o tratamento. Na primeira fase de implantação, Amazonas (Manaus), Bahia (Salvador), Ceará (Fortaleza), Distrito Federal (Brasília), Minas Gerais (Belo Horizonte, Uberlândia, Juiz de Fora e Passos), Pernambuco (Recife), Paraná (Curitiba), Rio de Janeiro (Rio de Janeiro, Niterói e Duque de Caxias), Rio Grande do Sul (Porto Alegre) e Santa Catarina (Florianópolis) têm postos com o remédio. Até maio de 2018 os outros estados brasileiros também serão contemplados com a PrEP.
 
Na América Latina, apenas o Brasil usa esse tipo de estratégia de prevenção como política de saúde pública, assim como na França e África do Sul. Nos Estados Unidos, Bélgica, Escócia, Peru e Canadá o tratamento é realizado de forma privada.
 
O comprimido deve ser tomado uma vez por dia, durante tempo indeterminado – até que a pessoa sinta que está fora de risco de contaminação. Sobre os efeitos colaterais do remédio, o Dr. Camargo afirma que são raros, mas podem acontecer náuseas, vômitos e diminuição da função renal.
 
Segundo Diogo, assim que iniciou a medicação, ele teve apenas alguns desconfortos, mas nada que atrapalhasse sua rotina: “após dois dias do início do tratamento eu não sentia mais nada. O lance da PrEP é você ser regrado com o horário da medicação; isso ajuda muito a criar uma rotina e não esquecer de tomar, para garantir a eficácia do tratamento”.
 
Para saber mais detalhes sobre a PrEP, basta acessar o site prepbrasil.com.br
 
*O Dr. Robinson Fernandes de Camargo explica que Truvada® é o nome comercial do medicamento usado para a PrEP. No SUS, ele passa a ser conhecido pelos princípios ativos tenofovir e emtricitabina (um único comprimido que combina os dois antirretrovirais)
 
Fonte: Redação Vida e Estilo
https://br.vida-estilo.yahoo.com/sus-disponibiliza-comprimido-para-prevencao-hiv-124741321.html

Comentários